(Vídeo) “Eu simplesmente amo o céu e queria que estivesse lá o tempo todo” emociona menino antes de falecer.

Edenfield, de quatro anos, de Lyons, nos Estados Unidos, emocionou milhares por seu desejo de estar no céu ao lado de Deus dias antes GAROTO-DE-4-ANOS-EMOCIONA-AO-FALAR-DO-CÉU-DIAS-ANTES-DE-MORRERde falecer em decorrência de um raro câncer no fígado.

“Eu simplesmente amo o céu e queria que estivesse lá o tempo todo”, diz o menino num vídeo emocionante.

Sua mãe, então o questiona como ele espera que o céu seja, ao que ele responde “não tenho certeza”.

“Você vai ter um novo corpo no céu?”, pergunta a mãe. “Sim”, responde o menino. “Como seu corpo vai ser?”, continua a questionar a mãe. “Sem câncer…. E eu nunca vou ficar doente!”, responde Silas. “Você vai estar sozinho no céu?”. “Não. Deus estará comigo”, diz Silas.

Silas, então, continua a falar das suas coisas preferidas no céu, segundo sua percepção. “Sabe qual é minha parte favorita sobre o céu?”, pergunta. “É que tudo, as ruas são de ouro. E minha segunda coisa favorita é que tudo é muito bom no céu… E Jesus e Deus estarão comigo”, continua.

A história do menino Silas ficou conhecida especialmente nos Estados Unidos, após seus pais criarem a página no Facebook “Praying for Silas” (Orando por Silas) na qual dividiam com o mundo a luta do garoto contra o hepatoblastoma, um câncer raro no fígado que acomete, normalmente, meninos menores de três anos de idade.

Na página, os pais descrevem Silas como o mais novo de quatro irmãos, divertido e que adora o Senhor. “O Senhor irá curar Silas, seja aqui na Terra, ou levando Silas para o céu onde ele receberá seu novo corpo e estará para sempre com Jesus! Seja o que Deus escolher, nós o glorificaremos! Silas não tem medo e está entusiasmado para ir para o céu e ganhar seu novo corpo. O Senhor nos diz para não termos medo porque Ele está conosco. Se Ele está conosco, não temos nada a temer”, diz a página.

“Silas está em casa com o Senhor, sem mais sofrimento, sem mais dor. Ele está curado completamente”, afirma a página.

Mais de 50 mil pessoas curtiram a página que, após a morte do menino, se dedica a angariar fundos e divulgar pesquisas a respeito do câncer infantil.

Confira vídeo (em inglês)

Deixe uma resposta