Diplomata do Itamaraty Sebastião Neves, dá dicas sobre a carreira de Relações Internacionais

Por Dentro do Itamaraty

sebastião Neves

Sebastião Neves, diplomata do Itamaraty, fala de sua viagem à África e dá dicas importantes para ingressar na carreira do serviço diplomático .

O diplomata Sebastião contou em entrevista exclusiva para Destake News Gospel sobre a sua viagem à África. Sebastião Neves esteve em Bujumbura, a capital de Burundi, e a sua viagem foi exclusivamente missionária, sem nenhuma atividade política internacional e nenhuma missão veiculada nas embaixadas.

Sebastião esteve realizando e cumprindo mais um trabalho missionário: abrir mais um capítulo da Adonep, só na cidade de Kinjasa. Cerca de 70 pessoas estiveram presente, entre empresários, profissionais liberais e autoridades políticas. As faixas alcançadas pela associação da Adonep, durante a primeira reunião realizada na cidade de Kinshasa elegeram por aclamação e unanimidade o primeiro presidente deste capítulo. Em seguida, Sebastião Neves seguiu para Uganda, para a abertura de mais um capítulo da Adonep, onde a preletora do jantar foi a Primeira Dama do país, esposa do presidente da República. Logo após o encontro, seguiu viagem para Bujumbura, um país pobre e sem significação política internacional .

Por Dentro do Itamaraty

O dia a dia de um diplomata que faz tudo por amor à pátria

Respondendo sobre importantes as funções do diplomata nos países, Sebastião revelou passo a passo as funções do serviço diplomático. A pedido, forneceu dicas importantes para quem deseja ingressar na carreira diplomática, e principais, requisitos para ser um embaixador do Reino de Cristo.

“O diplomata é aquele que representa o seu país, representa o seu povo, defende os interesses do seu país, dando assistência aos brasileiros no exterior. O diplomata também informa, ele procura informações do país onde está e prepara relatório, os envia para o Itamaraty tomar decisões importantes. Outra função relevante que o diplomata faz é prestar informações do país onde ele está para o seu país; e a terceira função mais importante do diplomata é negociar acordos, celebrar convênios tratados com o país onde ele está, ou país da região onde está representando o Brasil”.

Sebastião Neves, diplomata brasileiro a serviço do Senhor Jesus

 Além de ser um representante do serviço diplomático brasileiro, Sebastião Neves também é um embaixador de Cristo Jesus, um cristão profundamente comprometido com o Reino, e que já esteve em contato com centenas de missionários brasileiros. Só na África Negra, foram 17 países, e na África do Norte (árabe) esteve em todos os países, se tornando um especialista em países africanos. De todas suas funções e atribuições para ele a mais importante e ser um representante de Cristo.

 É possível uma pessoa humilde ser um diplomata?

 Entre tantas informações relevantes, Sebastião Neves informou que é possível, sim, uma pessoa simples e humilde ser um diplomata, e informou ser um exemplo disso:

“Eu sou filho de enfermeira, e meu pai faleceu quando eu tinha 3 anos. Éramos dois, eu e minha irmã, e a minha família era simples, mas minha mãe sabia que era muito importante dar um bom nível de informação para nós. Mas ainda tem pessoas mais simples, no caso, o embaixador Benedito. Ele era filho de um contínuo e negro. Tem lugar para pessoas humildes e pobres e também de cor negras; o Itamaraty não é elitista. O critério é o quanto a pessoa estuda. Existe um ditado no Ministério das Relação Exteriores que afirma o seguinte: “Quem estuda mais, chora menos”. Além da formação acadêmica, também é necessário falar bem os idiomas; falar e redigir. E além dos idiomas, o diplomata tem que conhecer bem de política internacional e da própria História do Brasil, matérias que entram para o concurso do Itamaraty. E para quem tem vontade de ser um representante de Cristo Jesus, diplomata do Reino, precisa ter muito amor; sem amor, nós não somos nada. Se a pessoa intenciona ser um diplomata de Cristo, precisa ser tolerante e amorosa, ser um cristão de verdade, ter o seu momento devocional todos os dias com Jesus, antes de qualquer coisa, e pertencer a uma igreja para crescer e se desenvolver espiritualmente” – afirmou o diplomata brasileiro.

 Como ser um diplomata?

 Para quem pretende seguir a carreira diplomática, é só ir em frente com as importantes dicas do diplomata Sebastião Neves, se dedicar bem aos estudos, estudar bem os idiomas, falar e redigir bem o inglês, francês e a própria língua portuguesa, ter profundos conhecimentos na história do Brasil, história mundial contemporânea, políticas internacionais e fazer o concurso do Itamaraty para ingresso na carreira diplomática.

O concurso é realizado anualmente. De acordo com as informações do diplomata Sebastião Neves, os interessados devem entrar no site do Instituto do Rio Branco (http://www.institutoriobranco.mre.gov.br/) e acompanhar os programas das provas, e ainda poderá seguir outras duas carreiras do serviço de exterior brasileiro, que são carreira diplomática: Oficial de Chancelaria e Assistente de Chancelaria. Todos têm chances, até mesmo os que moram no interior. Além dos cursos, existe a opção de realizar um preparo sozinho, seguindo o programa, é claro – lembrando que é preciso ter muita força de vontade, e estudar muito, ter curso superior e 2 a 3 anos de aplicação nos concursos.

One Comments

  • Janaína 08 / 12 / 2014 Reply

    Olá Queridos! Paz e Graça!
    Não sei há quanto tempo este post foi publicado, mas tenho, em meu coração, o sonho de servir ao Senhor através da Diplomacia – razão pela qual me identifiquei profundamente com o testemunho do irmão Sebastião.
    Gostaria de ter o privilégio de contata-lo – se assim for possível -, ainda que por e-mail.
    Posso contar com a ajuda de vocês?

    Que o Senhor vos recompense!

    Em Cristo,

    Janaína
    janimu7@hotmail.com

Deixe uma resposta