Procon Estadual autua Metrô por ausência de banheiros e poucos guichês de atendimento

Foto/ Divulgação

A Secretaria de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor (Seprocon), por meio do Procon Estadual, fiscalizou nesta segunda-feira (10/02) todas as estações do metrô do Rio, tanto da Linha 1 quanto da Linha 2. A Operação Tatuzão vistoriou o atendimento ao usuário, a acessibilidade para deficientes e o funcionamento de banheiros para passageiros. Os problemas mais recorrentes encontrados nas estações foram relacionados aos banheiros: ausência deles em algumas estações, dificuldade de acesso dos usuários aos sanitários nas estações que possuem  banheiros, e  má conservação dos mesmos. Outra irregularidade constatada em várias estações foi a demora na compra de bilhetes devido ao fato de ter poucos guichês funcionando. Das 35 estações da malha metroviária, 12 tinham apenas um guichê de venda de bilhetes atendendo aos usuários. A concessionária MetrôRio foi autuada pelas irregularidades e será multada.

Em 12 estações não havia banheiros para passageiros e em outras sete o acesso a eles era restrito para usuários. Os fiscais também encontraram um banheiro interditado, um mal sinalizado e dois com péssimo estado de conservação. Na estação Botafogo, os fiscais se depararam com deficientes visuais trafegando sem o auxílio  e a orientação de agentes de segurança. Em sete estações não havia bebedouros para o público.

Com poucos guichês atendendo, filas se formaram nas estações da Glória, Catete, Coelho Neto e Colégio. Nesta última, dois locais marcados para ter extintores de incêndios estavam vazios. Apenas a estação Cidade Nova não apresentou irregularidade.

A secretária de Estado de Proteção e Defesa do Consumidor, Cidinha Campos, ressaltou que as estações de maior movimento passaram a ter banheiros atendendo a um pedido de sua secretaria e que todos os sanitários combinados foram entregues pela concessionária. ´”Mas é preciso que os banheiros das estações do Metrô sejam cuidados de acordo com o que o Metrô Rio havia combinado conosco, com vigilantes na porta e funcionamento adequado, para que não haja depredação ou ameaça aos passageiros que os usarem”, destacou Cidinha, que também falou sobre as filas formadas devido a disposição de poucos guichês: “Não se pode admitir que o metrô deixe apenas um guichê aberto para a população nas estações se existe o risco de formação de filas. E  todos os guichês devem estar abertos na hora do rush. É preciso ter respeito com o passageiro”, concluiu a secretária.

Balanço da Operação Tatuzão:

Linha 1:

Estação Saens Pena: Apenas um guichê funcionando.

Estação São Francisco Xavier: Não tem banheiro. Apenas um guichê funcionando. Elevador quebrado, obrigando cadeirantes a descer com carrinho pela escada.

Estação Afonso Pena: Não tem banheiro. Apenas um guichê funcionando.

Estação Estácio: Apenas dois guichês funcionando.

Estação Praça Onze: Não tem banheiro. Apenas um guichê funcionando.

Estação Central: Não tem banheiro. Não tem bebedouro. Só há seguranças do lado da plataforma com mais movimento.

Estação Presidente Vargas: Apenas um guichê funcionando. Banheiro apenas para funcionários.

Estação Uruguaiana: Dos seis guichês, apenas três estavam funcionando. Banheiro fechado à chave.

Estação Carioca: Uma escada rolando não funcionava. Dos sete guichês, apenas três estavam funcionando.

Estação Cinelândia: Banheiro fechado à chave.

Estação Glória: Não tem banheiro. Apenas um guichê funcionando.

Estação Catete: Não tem banheiro. Apenas um guichê funcionando gerando fila.

Estação Largo do Machado: Não tem banheiro.

Estação Flamengo: Não tem banheiro. Um elevador estava em manutenção.

Estação Botafogo: Vários deficientes visuais circulavam sem o acompanhamento de agentes. Dos oito guichês, apenas três estavam funcionando.

Estação Cardeal Arco Verde: Dos quatro guichês, apenas um estava funcionando. Uma esteira estava parada.

Estação Siqueira Campos: Dos oito guichês, apenas dois estavam funcionando. Ausência de sinalização da localização dos sanitários.

Estação Cantagalo; Banheiro para deficientes interditado. Dos seis guichês, apenas um estava funcionando. Um elevador estava parado.

Estação General Osório: Dos nove guichês, apenas três estavam funcionando. Três elevadores não estavam funcionando.

Linha 2:

 

Estação Pavuna: Dos nove guichês, sete estavam funcionando.

Estação Engenheiro Rubens Paiva: Banheiro com acesso restrito para passageiros e com uma provada sem assento.

Estação Acari/Fazenda Botafogo: Banheiro com péssimas condições de limpeza.

Estação Coelho Neto: Banheiro com péssimas condições de limpeza e ausência de papel higiênico de papel para secar as mãos. Dos três guichês, dois estavam funcionando, gerando filas.

Estação Colégio: Dois locais marcados para ter extintores de incêndios estavam vazios. Dos três guichês, apenas um estava funcionando, gerando fila. Banheiro com acesso restrito para passageiros e com dois espaços para mictórios vazios. Rampa para acesso a estação sem mecanismo antiderrapante.

Estação Irajá: Banheiro com acesso restrito para passageiros. Escada rolante parada. Rampa para acesso a estação sem mecanismo antiderrapante.

Estação Vicente de Carvalho: Banheiro com acesso restrito para passageiros.

Estação Thomaz Coelho: Banheiro com acesso restrito para passageiros.

Estação Inhaúma: Não tem banheiro. Não tem bebedouro. Dos dois guichês, apenas um estava funcionando.

Estação Engenho da rainha – Não tem banheiro. Não tem bebedouro.

Estação Del Castilho – Não tem bebedouro. Dos quatro guichês, três estavam funcionando.

Estação Maria da graça – Não tem banheiro. Não tem bebedouro.

Estação Triagem: Não tem banheiro. Não tem bebedouro. Dos dois guichês, apenas um estava funcionando.

Estação Maracanã: Dos sete guichês, apenas um estava funcionando.

Estação São Cristóvão: Não tem banheiro. Não tem bebedouro. Dos três guichês, apenas um estava funcionando.

Deixe uma resposta