Qual a importância da responsabilidade paterna ?

Anderson Bravo,casado com Edijane Bravo, pai de Anderson filho e Lyon Bravo. Escritor, conferencista internacional,pastor auxiliar na Assembléia de Deus Ministério Plena Unção

Anderson Bravo,casado com Edijane Bravo,
pai de Anderson filho, Lyon Bravo. e Kalel.Escritor,
conferencista internacional,pastor auxiliar
na Assembléia de Deus Ministério Plena Unção

 

 

Não existe uma escola ou faculdade que ensine um homem a ser um pai perfeito, para alguns o grande problema é a ausência da figura paterna, mas não podemos esquecer que por muitas vezes a presença não é percebida, nem funcional.

Não tive a figura paterna em meu desenvolvimento, por isso ser pai para mim é sem dúvida meu principal desafio.
Aos poucos você descobre que por mais que se acerte, sempre faltará alguma coisa; Primeiro pelo fato de que todo pai estará em uma fase distinta e diferente de seus filhos, pois as gerações mudam. Em segundo lugar, por muitas vezes buscamos um modelo padrão de criação e nos esquecemos de que sua casa não igual a minha casa.

Todo pai basicamente tem 3 funções:

*Prover
*Proteger
*Promover

Ser pai é prover para seus filhos, casa, educação, sustento, mas a maior provisão que um pai pode dar a seus filhos é prover uma vida digna, honrosa, ensinando valores éticos, espirituais, formando um caráter nos seus filhos a partir do seu modelo de vida.

Não dá para apenas dizer a essa geração: “Façam”, é preciso fazer para que eles copiem.

fotomaos

Ser pai é proteger sua casa e filhos, das ciladas, propostas mundanas e malignas, que por muitas vezes seduz nossa prole. A função paternal nesse aspecto é de suma importância, tendo em vista que se os filhos não sentirem segurança dentro de sua casa, junto aos seus pais, essa criança poderá crescer desguarnecida e vulnerável a tudo de ruim que pode lhe se apresentado ao longo de sua vida.
Ser pai é promover o crescimento e o sucesso de seus filhos, todo pai sonha e trabalha para que seus filhos cheguem aos mais altos lugares,
Pai motiva, empolga, corrige, anima da dica, conselhos, broncas, em fim tudo isso é para que seus filhos alcancem lugares mais altos e muito melhores.
Uma simples instrução é sempre melhor que não ensinar nada; Não cobre se você não ensinou.
Todo pai sabe que um dia seus filhos precisaram caminhar sozinhos e enfrentar seus desafios. Isto não é uma sensação boa ver quem você ama correr riscos, mas é necessário para que ele (a) descubra o quanto é capaz.
Paternidade é renunciar, é abrir mão até mesmo da sua força para que seu filho (a) aprenda a usar suas habilidades no momento certo.
José “o carpinteiro” sem dúvidas é uma das maiores referências de paternidade genuína.
Ele recebe a missão de entender que a criança que iria nascer não era seu filho biológico e que um dia essa mesma criança seguiria sua missão divina.
José não atrapalha a jornada de Jesus, ao contrário favorece os passos daquele que viria a ser nosso Messias.
Não vemos José frustrado ou tentando impedir Jesus de fazer aquilo para qual veio ao mundo.
Porém José me ensina algo lindo.
Mesmo sabendo que a missão de Jesus era outra ele consegue deixar seu Legado na história de Jesus.
Em Mateus 13h55min o povo identifica o Nazareno a partir do seu pai José: “não é este o filho do carpinteiro?”, e em Marcos 6:3 a maior prova da sua influencia na vida do Messias é quando lemos o povo dizer: “não é este o carpinteiro?”.
Que possamos seguir o exemplo do carpinteiro, influenciar sem intervir, e se intervir que seja para apresentar uma rota muito melhor.

Deus abençoe os Pais; Deus abençoe os filhos
Anderson Bravo, pastor.

Deixe uma resposta