Deputado Sóstenes se posiciona sobre suposto tratamento para a homossexualidade

Esta semana foi publicada em vários jornais a decisão da Justiça do Distrito Federal que acatou pedido liminar que autoriza o tratamento para a homossexualidade. Hoje fui questionado sobre meu posicionamento em relação ao tema.

No dia 28 de junho de 2017, durante a reunião da Comissão de Direitos Humanos e Minorias, eu já havia me posicionado. Na ocasião, elogiei a iniciativa do deputado Chico Alencar de apresentar o requerimento Nº 76/17 – para que as chamadas “identidades trans” (Homossexualidade) não sejam classificadas como transtorno mental. Afirmei que concordo com ele nesse ponto, sobre não se tratar de patologia. Mas deixei claro que ideologicamente discordo do ponto de vista dele em vários aspectos, pois para mim é uma opção sexual.

Acredito que não existe cura para algo que não é doença, mas sou a favor de que qualquer pessoa, seja ela homossexual ou não, que tenha dificuldades, depressão, conflitos internos e outros problemas relacionados, devem sim procurar acompanhamento com um profissional da área. O psicólogo é indicado a todos que possuem insatisfação em qualquer âmbito, seja profissional, pessoal, amoroso ou financeiro.

Nenhum profissional pode ser tolido de exercer suas funções pelos seus órgãos representativos, que tem como principal objetivo a defesa e a busca de viabilidades para facilitar o exercício profissional e não dificultá-lo ideologicamente, como está fazendo o Conselho de Psicologia do Brasil.

Sóstenes Cavalcante

Vejam no vídeo anexo.

Deixe uma resposta