O Incrível, o Estranho e o Bizarro

Sylvia Jane Crivella – A Primeira-Dama da Cidade do Rio de Janeiro, Sylvia Jane Crivella é professora e escritora. Cursou Letras na PUC do Rio de Janeiro. Sylvia Jane tem a vocação para trabalhar pelos excluídos, pelos esquecidos, pelos marginalizados. É carioca do Leblon. Em 1980 casou-se com seu primeiro e único namorado, o atual Prefeito do Município do Rio de Janeiro, com dois mandatos de Senador, Marcelo Bezerra Crivella. Juntos foram para a África com três filhos pequenos: Deborah, Marcelo e Rachel. Lá viveram por quase dez anos como missionários. No final de 1999 a família voltou para o Brasil, onde Sylvia ajudou o marido na criação e implantação do Projeto Nordeste, inspirado na experiência dos kibutzim israelenses. Sempre ao lado do marido, viveu entre Rio e Brasília ao longo dos dois mandatos. Uma das maiores alegrias de Sylvia é cuidar dos dois netos, Daniel e David, filhos de sua filha mais velha. Ligada aos deveres do lar, que inclui administrar a casa da família e acompanhar o marido em inúmeros eventos políticos e sociais, Sylvia ainda encontra tempo para participar de obras sociais e escrever: é autora de quatro livros: O DESAFIO DE CRIAR FILHOS, TEMPO DE PAUSA, O ENCONTRO DAS BARRIGAS e RELAÇÕES PERIGOSAS, todos dirigidos ao público feminino. E apresenta o Programa Elas por Elas junto com Eliana Ovalle na Rádio Contemporânea 990 AM. Sylvia tem um coração sensível e uma alma generosa. Hoje Sylvia dedica seu tempo indo visitar comunidades, hospitais, instituições de caridade, escolas e abrigos. Em 2017 criou o Projeto TRANSFORMANDO MEU QUADRADO que visa beneficiar crianças, jovens e mulheres em situação de vulnerabilidade

Quando criança eu gostava de assistir a um programa de televisão que abordava temas sobre o título deste artigo.  Naquele tempo pareciam para mim coisas muito distantes e que jamais eu veria ao vivo e a cores.  O tempo passou e hoje coisas incríveis, estranhas e bizarras acontecem do meu lado ou ao lado de pessoas bem próximas.

Quem, em seu lindo escritório com vista panorâmica para uma das cidades mais glamourosas do mundo, poderia sequer imaginar que seu espaço seria invadido por um avião?

Quem, protegido em sua confortável e segura redoma, poderia imaginar que, de um dia para o outro, seu garantido futuro iria se esvair pelo ralo  quando a bolha estourasse?

Quem, sentado confortavelmente em sua sala de estar, assistindo à TV com a família, poderia imaginar que a montanha atrás de sua casa desmorronaria e carregaria seu passado, seu presente e seu futuro para debaixo da lama?

Quem, que trabalha a vida inteira para construir seu “castelo”,  poderia imaginar que um terremoto, seguido por uma onda surreal, em questão de minutos, destruiria tudo?

Quem, que tranquilamente deixa seu filho num local seguro e de preparação para o futuro, poderia imaginar que um louco entraria atirando sem causa ou motivo, aniquilando o futuro de tantos jovens e traumatizando tantos outros?

Em boa da parte das famílias Até a instituição mais sagrada adquiriu formas estranhas e bizarras e o conceito de família hoje se perdeu num emaranhado tão confuso que em boa da parte das famílias as crianças não sabem as crianças mais a quem chamar de mãe ou de pai.

Cada dia que passa, o incrível, o estranho e o bizarro ficam mais comuns.  Até a instituição mais sagrada adquiriu formas estranhas e bizarras e o conceito de família hoje se perdeu num emaranhado tão confuso que as crianças não sabem mais a quem chamar de mãe ou de pai. Creio que vale a pena meditarmos no que o Senhor Jesus disse: Vigiai, pois que o grande dia se aproxima!

E que dia é este?  O dia da gloriosa vinda do Senhor e Salvador!

Sylvia Jane Crivella 

Deixe uma resposta